• Luiza Camargo Mendes

O que vou escolher comer?


As uvas, por mais que estejam docinhas, não substituem o chocolate. O contrário também, quando quero o frescor da fruta não é no chocolate que encontro.




Quantas vezes estou no modo "piloto automático" e nem noto o que realmente gostaria de comer. Como é para você?


O corpo avisa e manda sinais sobre o que comer, como o gosto que nem parece tão bom, chega até ficar enjoativo. Outras vezes a comida chega no estômago "quadrada" e fico com a sensação de "comer por comer", deixando o prazer passar longe.


Fazer pequenas pausas no dia tem me ajudado a lidar com o excesso de atividades e a criar um espaço para escolher o que comer. Pode ser duas ou três respirações mais consciente, levar a atenção para sentir os pés ou olhar uma planta e perceber sua forma, cores, aromas.


As pausas ajuda a reconectar com o aqui e agora, a notar o que preciso e fazer escolhas mais conscientes.


Percebo que quando dou essa pausa, consigo escolher uma comida que está alinhada com a necessidade do corpo e do momento. Ela cai bem, traz uma sensação boa, acompanhada de uma alegria interna, como se realmente estivesse atendendo essa necessidade.


Me conta como é para você dar essa pausa no dia e notar o que o corpo está realmente pedindo. Muitas vezes descobrimos que pode ser outra coisa além da comida.


1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo