• Luiza Camargo Mendes

Pilar 1 - Não julgar




Começamos as atitudes colocando luz aos julgamentos.


Você já notou como julgamos automaticamente o tempo todo?


É um hábito mental comum em que rotulamos, dizemos se gostamos ou não da experiência, expressamos nossa opinião, criticamos...


Esses julgamentos costumam acontecer no "piloto automático" e acabam embaçando a visão, como se fossem "verdades absolutas".


O convite é para notar os julgamentos sem se identificar com eles. Você pode dizer mentalmente - "um julgamento". Isso nos ajuda a tomar consciência desse pensamento e começamos a olhar o que tem por trás e está escondido, como um medo ou preconceito.


Aos poucos vamos notando com mais facilidade e nos ajuda a viver a vida com mais leveza - sem ficar aprisionada aos julgamentos e críticas.


Na definição de mindfulness, Jon Kabat-Zynn insere essa atitude. É a base para estarmos atentos, abertos, curiosos e receptivos ao momento presente.


"Mindfulness é a consciência que surge ao prestar atenção intencionalmente no momento presente, sem julgamento."

Quando comecei a praticar o "não julgar" notei a enxurrada de pensamentos julgadores e críticos que tenho ao longo do dia, fora os que verbalizo.


Esse é o primeiro passo - notar - estar consciente de que eles existem e passam pela cabeça.


Depois tenho a escolha de não acreditar neles - a maioria são desagradáveis, aumentam a culpa e a vergonha. Não me ajudam em ter um melhor relacionamento comigo nem com a comida.


Gosto de usar um ingrediente que deixa mais divertido - bom humor - para notar, soltar esse julgamento e responder a ele com carinho e compaixão.


Colocar luz a esses julgamentos me ajuda a perceber o que tenho escondido e preciso checar. Muitas vezes é apenas soltar apegos antigos, ideias cristalizadas e estar aberta para vivenciar o que está acontecendo. Outras noto uma resistência de soltar uma ideia ou crítica. Quando solto vem um alívio e me sinto livre para experimentar o momento presente.


Me conta quais pensamentos julgadores passam pela sua cabeça?


Referência: Viver a catastrofe total. Jon Kabat-Zynn



11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo